O que o Sociólogo pode fazer para Ajudar no Desenvolvimento de uma Empresa?

Tempo de leitura: 5 minutos

Imagine-se em uma entrevista de emprego se deparando com a pergunta: “O que o Sociólogo pode fazer para Ajudar no Desenvolvimento de uma Empresa?”, qual seria sua resposta?

sociologia x empresasPoderia responder com outra pergunta, quais situações são vistas como problemáticas na empresa? Podendo obter como resposta: alto índice de acidente no trabalho com paralização na produção, sem mortes; metas de produção não atingidas e outros; então o entrevistador volta a lhe indagar, o que você faria?

Sociologia x Empresas

Partindo-se do principio de que o objeto de estudo da Sociologia é o comportamento dos grupos sociais, em uma analise básica, percebe-se que boa parte dos problemas citados podem ter como raiz questões comportamentais, haja vista que em se tratando de acidente de trabalho, as explicações não se limitam a excesso de horas trabalhadas, existindo resistência ao uso de Equipamentos de Proteção Individual – EPI. A diminuição na produção afeta o numero de empregos. Ou seja, o bom andamento da empresa está ligado a satisfação pessoal, reconhecimento profissional, comportamentos adequados ao trabalho.

Para que a empresa se torne mais eficaz é necessário que conheçamos o seu funcionamento, o comportamento organizacional, tentar entender os indivíduos e os grupos em interação com o contexto organizacional, objetivando promover a melhoria e eficácia na empresa e a satisfação do individuo no trabalho.

O sucesso ou fracasso de uma empresa está diretamente ligado aos comportamentos humanos, o conhecimento destes possibilita a compreensão dos impactos causados pelas ações dos indivíduos, grupos e da estrutura, criando-se a possibilidade de prever, explicar, compreender e intervir na dinâmica organizacional, aumentando a produtividade, o desempenho dos colaboradores, a qualidade de vida do individuo no trabalho.

Para tanto, é preciso, além de observar o comportamento dos grupos e indivíduos, entender as normas e regras que regem as condutas, as politicas e práticas adotadas, linhas de autoridades e responsabilidades instituídas, arquitetura organizacional e tecnologias adotadas, enfim, todos os elementos que influenciam a dinâmica da empresa.

Dessa forma se pode mapear os pontos fortes e fracos e ter condições de propor alternativas para melhorar o desempenho dos colaboradores, sendo assim, deve-se atentar para os aspectos objetivos, tangíveis e observais de uma empresa, assim como, os aspectos subjetivos e intangíveis, pois estes são influenciadores vitais do comportamento das organizações.

Quanto aos aspectos visíveis, considera-se os objetivos e as estratégias empresariais; as práticas, as políticas e os procedimentos aplicados; a arquitetura organizacional que delineiam a estrutura da organização; as relações de autoridade e responsabilidade, assim como, as tecnologias empregadas.

Quanto aos aspectos invisíveis, que costumam se apresentar a partir das relações de poder; dos valores e atitudes das pessoas; a formação e a dinâmica dos grupos; a estrutura de comunicação estabelecida; as relações interpessoais e conflitos gerados a partir das interações. Estes e outros fatores determinam o comportamento organizacional.

Desta feita, deve-se analisar três aspectos: o indivíduo, o grupo e a organização, elementos influenciadores do comportamento organizacional.

curso de sociologia

 

O indivíduo é o nível de estudo micro-organizacional, seu comportamento no trabalho é avaliado a partir dos aspectos psicossociais e suas dimensões de atuação no contexto organizacional. A investigação tem inicio no estudo da concepção do Ser desde a formação da personalidade até a consolidação das diferenças individuais.

 

O grupo constitui o nível de estudo meso-organizacional, referentes as questões sobre comportamento dos grupos e equipes de trabalho. A preocupação é com a formação e dinâmica dos grupos; as relações interpessoais estabelecidas; os modelos de comunicação e os problemas advindos dos ruídos de comunicação; a liderança como o fundamento para o desenvolvimento dos grupos e das organizações; as bases do poder e o efeito exercido sobre os grupos; relações interpessoais podendo ser um gerador de conflitos; a administração de conflitos; aspectos relativos às negociações necessárias à sobrevivência e manutenção dos grupos.

 

A organização se constitui no nível de estudo macro-organizacional. Referente as estruturas e arquitetura da organização.

 

Os resultados desta relação podem ser visualizados e explicados e utilizados como base para intervenções que provoquem mudanças no contexto vivencial da empresa, bem como nos rumos organizacionais.

 

A interação dos indivíduos em grupos formais e/ou informais constitui o todo organizacional e tem resultantes comportamentais expressas na cultura e clima da empresa.

 

As empresas são compostas por pessoas que através do desempenho de seus papéis permitem que estas cresçam e se desenvolvam, ou entrem em estado de estagnação, deterioração e morte organizacional. Nas empresas, os indivíduos não se comportam apenas como eles mesmos, mas também como membros do grupo no qual estão inseridos, desta forma, compreender o trabalhador e suas ações é uma necessidade para qualquer gestor, pois é através deste que se consegue entender o movimento dos grupos e a dinâmica organizacional.

 

Precisamos entender melhor a sociedade, as relações sociais, precisamos conquistar mercado de trabalho na iniciativa privada e buscar alternativas aos problemas de empresas de diferentes ramos.

A empresa é uma fonte autônoma de construção de relações sociais; os funcionários de uma empresa foram reunidos pela necessidade de produção e como consequência se transforma em propagadores de ideias e transformações sociais, são os efeitos sociais das empresas.

Para conhecermos melhor os grupos sociais na empresa precisamos entender as regras de organização formal desta e assim detectarmos os grupos ativos, passivos, interações conflituosas e consensuais. A empresa é um lugar de articulação do individuo e do social, articulação que precisa ser desvendada para que empresa seja melhor conhecida. No que tange aos fatores motivacionais este se relaciona com a situação social, identidade profissional a maneira como o individuo é visto pelo outro evoluindo num sentido favorável a seus olhos, de forma a sentir-se reconhecido e valorizado em sua função.

Mário Nascimento é Sociólogo, Mestre em Serviço Social, Técnico em Gestão Ambiental da Secretaria de Estado de Meio Ambiente do Pará.

curso online de sociologia

 

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Você gostou deste artigo?
Receba as novidades mais quentes sobre Sociologia em seu email! É GRATUITO.

Sobre Mário Nascimento

Mário Nascimento é Sociólogo, Mestre em Serviço Social, Técnico em Gestão Ambiental da Secretaria de Estado de Meio Ambiente do Pará.